Avaliações sobre o futuro do mercado de trabalho demonstram que habilidades socioemocionais são tão relevantes quanto o conhecimento tecnológico

Nos últimos anos, a transformação digital tem mudado a maneira como cada pessoa vivencia experiências ou realiza atividades. Fazer compras pelo aplicativo, reuniões por videoconferência ou pagar as contas com um toque no celular são algumas das possibilidades cotidianas graças à revolução tecnológica. No mercado de trabalho, a proximidade com as novas tecnologias é um diferencial, mas, de acordo com o relatório Future of Jobs 2020, divulgado pelo Fórum Econômico Mundial, além das competências técnicas, o futuro do trabalho precisará de habilidades humanas como resiliência, tolerância ao estresse e flexibilidade.

Segundo a publicação, a pandemia de Covid-19 acelerou ainda mais a revolução digital e a automação nas organizações e deverá transformar empregos e habilidades até 2025. Para 43% das empresas pesquisadas no relatório, a redução da força de trabalho está definida por conta da integração da tecnologia. A conquista de novas vagas poderá depender do desenvolvimento de habilidades humanas, como pensamento crítico e análise, resolução de problemas, aprendizagem ativa e autogestão.

O futuro do trabalho está conectado com o desenvolvimento de características humanas. Créditos: Divulgação

Conectado com a valorização do desenvolvimento das habilidades humanas, a terceira edição do Summit Jovem traz em sua programação convidados para reflexão sobre as potências do ser humano e o despertar de novos talentos. “A juventude é altamente conectada com o acesso multiplataforma quase ilimitado às informações, mas essas novas gerações vivem também um momento com profundas transformações educacionais, no mercado de trabalho e nos relacionamentos. Ao mesmo tempo que desfrutam da liberdade com a conexão possuem uma necessidade de saber mais sobre sua essência humana”, explica o co-fundador da Escola de Criatividade, Jean Sigel. O movimento que o especialista integra desenvolve projetos voltados à educação cooperativa, economia criativa e empreendedorismo.

Conheça agora as 10 principais habilidades de 2025, de acordo com o relatório divulgado no Fórum Econômico Mundial:

  • Pensamento analítico e inovação;
  • Solução de problemas complexos;
  • Análise e pensamento crítico;
  • Criatividade, originalidade e iniciativa;
  • Argumentação, solução de problemas e ideação;
  • Aprendizado ativo e estratégias de aprendizagem;
  • Resiliência, tolerância ao stress e flexibilidade;
  • Liderança e influência social;
  • Uso, monitoramento e controle da tecnologia;
  • Design de tecnologia e programação.

Crédito foto em destaque: Rafael Danielewicz/arquivo Sicredi